Edema venoso

Se o volume de suas pernas estiver constantemente aumentado e a pressão na parte afetada deixar um recuo, você terá edema. A causa pode ser venosa ou linfática. Consulte um médico para receber o diagnóstico correto. A terapia de compressão é a terapia básica para o edema.

Man and woman playing chess in a lobby

Suas pernas estão inchadas, especialmente à noite e no verão, e esses inchaços desaparecem quando você levanta as pernas? Estes podem ser os primeiros sinais de doença venosa. Se a perna permanecer inchada mesmo depois de elevá-la, pode haver edema,

Seja qual for o caso, você deve visitar um profissional de saúde para obter um diagnóstico adequado e verificar as causas subjacentes.

O que é edema venoso?

O edema é definido como um aumento perceptível no volume de líquido na pele e no tecido subcutâneo. A aplicação de pressão no edema deixará um recuo que permanece na pele após a liberação da pressão.

O edema venoso geralmente ocorre primeiro na região do tornozelo, mas também se estende pela perna e pelo pé.

O que causa edema venoso?

Existem muitas causas para o edema, como ficar em pé ou sentado por longos períodos de tempo, inatividade física, doença venosa crônica, linfedema, hereditariedade, gestação, cirurgia e trauma.

Os edemas de origem venosa desenvolvem-se quando as válvulas venosas não se fecham adequadamente e o sangue fica estagnado nas veias, impedindo assim que os vasos sanguíneos funcionem adequadamente.

Para uma pessoa que foi afetada, muitas vezes não há diferença visível entre o edema venoso e o linfedema. Em qualquer caso, se sentir inchaço, você deve consultar seu médico para obter o diagnóstico e o tratamento corretos.

O que eu posso fazer sobre o edema venoso?

Seu profissional de saúde examinará os sintomas, bem como a presença de veias varicosas, distúrbios tróficos da pele ou úlceras cutâneas que podem estar associadas a uma doença venosa.

Por meio de ultrassonografia, o médico pode visualizar o fluxo sanguíneo e verificar se o desenvolvimento do edema está associado a um distúrbio venoso e se as veias superficiais ou o sistema de veias profundas nas suas pernas estão afetadas.

O diagnóstico precoce de edemas é essencial para prevenir a progressão da doença e evitar complicações mais sérias.

Terapia de compressão médica: um tratamento não invasivo

Para ajudar no combate de edema venoso, a terapia de compressão médica é usada como tratamento não invasivo.

Seu profissional de saúde pode prescrever meias de compressão médica. O material elástico das meias-calças de compressão medicinal fornece uma pressão ativa na perna e aperta suavemente as paredes das veias.

A pressão mais forte é aplicada no tornozelo e diminui no sentido ascendente ao longo da perna, facilitando o fluxo sanguíneo de volta para o coração, reduzindo a pressão venosa e melhorando a circulação geral.

Em alguns casos, uma técnica semelhante à massagem chamada Drenagem Linfática Manual (DLM) também pode ajudar.

Outras opções de tratamento para os edemas venosos

O edema venoso se origina de um distúrbio venoso subjacente, que pode ser tratado com terapia de compressão não invasiva, mas também com técnicas mais invasivas. As diferentes opções de tratamento incluem:

Ablação química (escleroterapia com espuma guiada por ultrassom)
right_arrow

Injeção de líquido, espuma ou cola (por exemplo, cianoacrilato) sob a orientação de ultrassom, que causa a redução e o colapso das veias.  

Flebectomia e fleboextração
right_arrow

Remoção cirúrgica de veias varicosas. As veias superficiais são removidas através de pequenas incisões (flebectomia por microincisão) e as veias profundas através de fleboextração. 

Resumo

O edema pode ser um sinal de distúrbio venoso.

Informações médicas básicas sobre distúrbios venosos

  • Com o termo Doença venosa crônica (DVC), descrevemos uma condição duradoura, que envolve o comprometimento do retorno venoso.
  • Se as válvulas das veias não fecham adequadamente, ocorre um refluxo: o sangue vaza no sentido descendente e estagna na veia, levando à hipertensão venosa. Essa condição é conhecida como insuficiência venosa crônica (IVC), podendo resultar em edema, alteração da pele e, em alguns casos, ulcerações.
  • Se não for tratada, a insuficiência venosa crônica pode resultar no desenvolvimento de distúrbios graves, incluindo flebite e embolia pulmonar. Para distinguir as diferentes manifestações de DVC, usa-se o sistema de classificação CEAP.
  • As doenças venosas agudas geralmente ocorrem sem condições pré-existentes, mas elas também podem ser desencadeadas por doenças venosas crônicas. De qualquer forma, o tratamento médico é necessário imediatamente. Doenças venosas agudas incluem tromboflebite superficial, trombose venosa profunda (TVP), embolia pulmonar, síndrome pós-trombótica e ruptura de veias varicosas.

Leitura adicional