Úlcera nas pernas

As úlceras venosas nas pernas são feridas não curadas ou abertas nas pernas. Ocorrem na presença de doença venosa.

Legs and feet of construction worker that is climbing up in his truck

O que é uma úlcera nas pernas?

As úlceras venosas nas pernas geralmente se desenvolvem no interior, às vezes no exterior da perna, logo acima do tornozelo.

Os sintomas de uma úlcera venosa nas pernas incluem

  • dor
  • coceira
  • inchaço

na perna afetada. Também pode haver descoloração ou endurecimento da pele ao redor da úlcera, e a ferida pode produzir uma secreção fétida.

Em mais de dois terços de todas as úlceras nas pernas, a doença venosa é a principal razão. Outros tipos comuns de úlcera nas pernas incluem:

  • úlceras arteriais nas pernas – causadas por má circulação sanguínea nas artérias
  • úlceras diabéticas nas pernas – causadas pelo alto nível de açúcar no sangue associado ao diabetes
  • úlceras vasculíticas nas pernas – associadas a distúrbios inflamatórios crônicos, como artrite reumatoide e lúpus
  • úlceras traumáticas nas pernas – causadas por lesão na perna
  • úlceras malignas nas pernas – causadas por um tumor da pele da perna

A maioria das úlceras causadas por doença arterial ou diabetes ocorre no pé e não na perna.

A úlcera venosa nas pernas é geralmente um sinal de doença venosa grave

As úlceras venosas nas pernas são um dos mais graves resultados da progressão da doença venosa crônica; são muitas vezes crônicas e difíceis de curar. De fato, a taxa de recorrência de úlceras venosas nas pernas é de maior que 70%.

Consulte seu médico se você acha que tem uma úlcera nas pernas, pois precisará de tratamento profissional para ajudá-la a cicatrizar. Seu médico também pode ajudar a determinar o tipo de úlcera que você tem e a melhor opção de tratamento.

O que causa uma úlcera venosa nas pernas?

As úlceras venosas nas pernas resultam da progressão da doença venosa, principalmente a insuficiência venosa crônica (IVC).

A insuficiência venosa crônica é uma condição que ocorre quando as paredes venosas e/ou as válvulas nas veias das pernas estão danificadas ou não estão funcionando efetivamente.

As válvulas devem garantir que o sangue flua pela perna e não para baixo. Se elas não estão fechando corretamente, o sangue fica estagnado nas veias, resultando em pressão muito alta nas veias quando em posição vertical.

Essa alta pressão constante pode danificar gradualmente os vasos sanguíneos minúsculos em sua pele, levando ao vazamento de sangue no tecido. Isso eventualmente leva à inflamação local do tecido.

Uma pequena lesão pode abrir uma úlcera nas pernas

Uma úlcera venosa nas pernas poderá se desenvolver após uma pequena lesão se houver um problema com a circulação do sangue nas veias da perna e caso ocorra uma inflamação local do tecido. Como resultado, sua pele pode facilmente sofrer uma lesão e formar uma úlcera após uma batida ou arranhão.

A menos que você tenha tratamento para melhorar a circulação nas pernas, a úlcera pode não cicatrizar.

Como se diagnostica uma úlcera venosa nas pernas?

Para todos os pacientes com úlcera, é recomendável examinar atentamente o histórico médico:

  • histórico pessoal ou familiar de veias varicosas, tratadas ou não
  • histórico pessoal ou familiar de trombose venosa profunda e/ou trombose venosa superficial e/ou embolia pulmonar
  • histórico pessoal de trauma significativo ou cirurgia de membros inferiores
  • úlcera venosa prévia
  • presença de diabetes

Seu profissional de saúde examinará sua perna, tanto quando você está de pé quanto deitado.

Eles também medirão o pulso nos tornozelos para verificar se as artérias da perna estão funcionando corretamente. Para descartar uma doença arterial periférica (uma condição que afeta as artérias) como uma possível causa de seus sintomas, seu profissional de saúde realizará um exame conhecido como estudo Doppler.

Exames adicionais podem ser feitos para avaliar o fluxo sanguíneo nas veias.

Qual é o tratamento para uma úlcera nas pernas?

Se você for diagnosticado com úlcera venosa nas pernas, provavelmente já estará trabalhando em estreita colaboração com uma clínica especializada em feridas, com seu médico ou profissional certificado em tratamento de feridas.

Controlar e curar a ferida: a compressão médica desempenha um papel importante

O tratamento primário de uma úlcera venosa nas pernas inclui o controle de qualquer infecção e a cicatrização da ferida. Isso pode levar muitos meses, dependendo do tamanho da ferida. Controlar a dor, minimizar o edema e proteger a saúde da pele são medidas importantes.

A compressão ajuda a melhorar a circulação das veias nas pernas e a tratar o inchaço. Ela desempenha um papel importante na cicatrização da ferida e no cuidado pós-ferida.

Tradicionalmente, as bandagens de compressão de curta duração são usadas na fase inicial do tratamento de grandes úlceras até que a cicatrização esteja quase completa ou o paciente possa usar uma meia-calça de compressão graduada na altura do joelho a 30–40 mmHg ou mais.

Sistemas de meia de compressão

Além disso, estão disponíveis sistemas de meia de compressão. Elas consistem em uma meia de compressão normal e um sistema de base de baixa compressão patenteado. Esses sistemas oferecem benefícios muito além dos oferecidos pelas bandagens:

  • Fáceis de colocar, o que significa que a assistência com o tratamento de compressão não é necessária em muitos casos
  • Confortáveis e discretos, mesmo com sapatos
  • Nenhuma pressão desagradável quando você estiver deitado na cama, pois apenas o sistema de base patenteado é usado à noite
  • O sistema de base mantém o curativo no lugar enquanto você dorme
  • Nenhum dano à ferida quando aplicado corretamente – nem ao vestir nem ao retirar a meia

Com o tratamento adequado, a maioria das úlceras venosas nas pernas cicatriza dentro de 3 a 4 meses.

Uma vez que sua ferida esteja cicatrizada, você deve continuar usando suas meias de compressão pelo resto da vida para evitar o desenvolvimento de outra úlcera.

Resumo

A úlcera nas pernas é a consequência mais grave da doença venosa.

Informações médicas básicas sobre distúrbios venosos

  • Com o termo Doença venosa crônica (DVC), descrevemos uma condição duradoura, que envolve o comprometimento do retorno venoso.
  • Se as válvulas das veias não fecham adequadamente, ocorre um refluxo: o sangue vaza no sentido descendente e estagna na veia, levando à hipertensão venosa. Essa condição é conhecida como insuficiência venosa crônica (IVC), podendo resultar em edema, alteração da pele e, em alguns casos, ulcerações.
  • Se não for tratada, a insuficiência venosa crônica pode resultar no desenvolvimento de distúrbios graves, incluindo flebite e embolia pulmonar. Para distinguir as diferentes manifestações de DVC, usa-se o sistema de classificação CEAP.
  • As doenças venosas agudas geralmente ocorrem sem condições pré-existentes, mas elas também podem ser desencadeadas por doenças venosas crônicas. De qualquer forma, o tratamento médico é necessário imediatamente. Doenças venosas agudas incluem tromboflebite superficial, trombose venosa profunda (TVP), embolia pulmonar, síndrome pós-trombótica e ruptura de veias varicosas.

Leitura adicional