Teleangiectasias

Pequenas veias visíveis através da pele das pernas são chamadas de teleangiectasias. As teleangiectasias são sintomas precoces do distúrbio venoso. Os produtos de compressão podem ajudar a aliviar os sintomas e prevenir a formação de mais teleangiectasias.

High-heeled woman in dark compression stockings on glowing floor

Você vê pequenas veias profundas na pele de suas pernas que se parecem com galhos de árvores ou com uma teia de aranha? Nas coxas, essas chamadas teleangiectasias representam principalmente um problema meramente estético que pode ser removido por meio de certos procedimentos endovasculares na maioria dos casos. As teleangiectasias se desenvolvem se as válvulas das veias superficiais não estião funcionando adequadamente, fazendo com que o fluxo sanguíneo recue e estagne nas veias. De modo semelhante aos sintomas que ocorrem nas pernas, tais como pernas pesadas e dor nas pernas, as teleangiectasias são sintomas precoces do distúrbio venoso que pode evoluir para insuficiência venosa grave.

O que são teleangiectasias?

As veias tipo "teias de aranha", também chamadas telangiectasias, são veias superficiais pequenas, visíveis e incompetentes sob a pele, com menos de 1 mm de calibre. Não devem ser confundidos com veias normais visíveis em pessoas com pele fina e transparente.

As teleangiectasias podem ser encontradas em diferentes áreas da perna e, às vezes, nos braços e no rosto. Eles formam uma rede sob a pele que se parece com uma teia de aranha. É também de onde o nome se origina. Pequenas teleangiectasias são de uma cor vermelha bastante brilhante. Veias dilatadas (de 1 mm a menos de 3 mm de diâmetro) são chamadas de veias reticulares e têm uma coloração azulada.

Quando ocorrem nas coxas, as teleangiectasias representam principalmente um problema meramente estético que pode ser removido por meio de procedimentos endovasculares na maioria dos casos.

Quando as teleangiectasias estão presentes ao redor do tornozelo, elas são chamadas de corona flebectatica. Essa manifestação é o primeiro sinal cutâneo do desenvolvimento de grave insuficiência venosa. Consulte o seu médico ou um especialista em veias. Ele poderá confirmar o diagnóstico e selecionar o tratamento mais adequado para você.

O que causa as teleangiectasias?

As teleangiectasias são veias alargadas nas quais as válvulas venosas não se fecham adequadamente. O sangue nestas veias flui de volta para os pés em vez de para o coração e se acumula nas veias. Isso leva a um aumento da pressão nos vasos afetados, o que, com o tempo, pode enfraquecer as paredes das veias, fazendo com que se dilatem ainda mais.

As teleangiectasias não são apenas sinal de envelhecimento. É possível que indivíduos mais jovens, com predisposição genética, as desenvolvam.

Durante a gestação ou se fatores de risco adicionais ocorrerem, como uma profissão que envolva extensa permanência e/ou sentar ou sobrepeso, estiverem presentes, a probabilidade de desenvolvimento de teleangiectasias aumenta.

O que posso fazer para tratar as teleangiectasias?

Em muitos casos, as teleangiectasias são inofensivas e tendem a ser uma questão estética. Mas também podem ser os primeiros sinais de distúrbio venoso ou, se localizados ao redor do tornozelo, como no caso da corona flebectática, de uma insuficiência venosa mais grave.

A compressão funciona

Se você for diagnosticado com teleangiectasias, seu médico pode prescrever meias-calças de compressão medicinais para aplicar uma pressão controlada em sua perna. Ao comprimir a perna mais fortemente no tornozelo e diminuir a subida pela perna, a meia-calça de compressão aperta suavemente as paredes das veias, facilitando o fluxo sanguíneo para o coração, reduzindo a pressão venosa e melhorando a circulação sanguínea.

As meias-calças de compressão medicinais podem ajudar a prevenir a formação de teleangiectasias adicionais. Elas também podem reduzir os sintomas associados, como por exemplo, inchaço nas pernas. Além disso, a progressão de um distúrbio venoso subjacente e o risco de desenvolver um coágulo pode ser reduzido com o uso de meias-calças de compressão.

Existem outras opções de tratamento para as teleangiectasias?

Se as teleangiectasias forem removidas por razões estéticas, o médico estético usará um procedimento endovascular para ocluir as veias visíveis. O procedimento de escolha é a escleroterapia, um procedimento guiado por ultrassonografia que envolve a canulação da veia e a injeção de um agente espumante ou esclerosante que leva à oclusão da veia. Na melhor das hipóteses, a veia colapsada é reabsorvida no tecido local e desaparece com o tempo.

Recomenda-se o uso de meias-calças de compressão após o tratamento para o melhor resultado possível.

Resumo

Qualquer sensação de desconforto nas pernas ou sinais cutâneos visíveis de veias dilatadas (chamadas de teleangiectasias) podem ser sinais precoces de distúrbio venoso.

Informações médicas básicas sobre distúrbios venosos

  • Com o termo Doença venosa crônica (DVC), descrevemos uma condição duradoura, que envolve o comprometimento do retorno venoso.
  • Se as válvulas das veias não fecham adequadamente, ocorre um refluxo: o sangue vaza no sentido descendente e estagna na veia, levando à hipertensão venosa. Essa condição é conhecida como insuficiência venosa crônica (IVC), podendo resultar em edema, alteração da pele e, em alguns casos, ulcerações.
  • Se não for tratada, a insuficiência venosa crônica pode resultar no desenvolvimento de distúrbios graves, incluindo flebite e embolia pulmonar. Para distinguir as diferentes manifestações de DVC, usa-se o sistema de classificação CEAP.
  • As doenças venosas agudas geralmente ocorrem sem condições pré-existentes, mas elas também podem ser desencadeadas por doenças venosas crônicas. De qualquer forma, o tratamento médico é necessário imediatamente. Doenças venosas agudas incluem tromboflebite superficial, trombose venosa profunda (TVP), embolia pulmonar, síndrome pós-trombótica e ruptura de veias varicosas.

Leitura adicional